Azatioprina: Tudo o que você precisa saber

Tempo de leitura: 6 minutos

Iniciei o tratamento com azatioprina em maio de 2012, conforme comentei aqui. Hoje em dia não tomo mais o Imunen e sim o Imussuprex do laboratório Germed, que é o medicamento que o SUS disponibiliza ao pacientes do Rio de Janeiro. Muitas pessoas têm dúvidas a respeito da azatioprina, então pesquisei sobre o assunto e encontrei muita informação (confiável) a respeito.

Primeiro, é necessário saber que a azatioprina é uma droga imunossupressora análoga da purina e utilizada para tratamento de pessoas transplantadas a fim de evitar rejeição ao órgão e também por pessoas com doenças autoimunes, como é o caso da doença de Crohn, da Colite Ulcerativa e de muitas outras.

A azatioprina é largamente utilizada e estudada há mais de 50 anos.

O que são imunossupressores?

Em resumo, os imunossupressores (como a azatioprina) são medicamentos que baixam a imunidade.

Em entrevista para a Revista ABCD, o Dr. Flavio Steinwurz, gastroenterologista do Hospital Israelita Albert Einstein, explicou que

“os imunossupressores são considerados os remédios de uso oral mais eficazes na manutenção da remissão da doença de Crohn e, além de servirem para tirar a dependência dos corticóides, também favorecem o fechamento de fístulas”.

De uma forma simplificada, nas doenças autoimunes o organismo, através do sistema imunológico, se auto-ataca. O efeito das drogas imunossupressoras é diminuir a força do sistema, induzindo este a agredir menos o organismo.

No caso da doença de Crohn, o sistema imunológico ataca o intestino, então os remédios fazem com que essa agressão diminua e, dessa forma, os sintomas também diminuem.

Uma outra informação importante é que os efeitos dos remédios demoram a aparecer. É necessário esperar alguns meses até que se tenha algum benefício. Além disso, é preciso fazer exames de sangue frequentemente para avaliar a função hepática do organismo.

No meu caso específico, comecei fazendo exames de sangue quinzenalmente e agora os faço mensalmente.

Contraindicações

A azatioprina é contraindicada para pacientes com hipersensibilidade conhecida ao componente principal ou a qualquer outro componente da fórmula.

A hipersensibilidade à mercaptopurina também é importante e deve ser avaliada pelo médico.

Advertências

Existem alguns riscos para o uso da azatioprina. Por isso, é muito importante que seja prescrita por um médico.

A azatioprina, normalmente, só é prescrita em casos que o paciente pode ser adequadamente controlado e monitorado quanto aos efeitos tóxicos durante o período do tratamento.

Se você já começou a usar o medicamento, relate imediatamente ao seu médico qualquer evidência de infecção, contusão ou sangramento inesperados.

Os pacientes que recebem tratamento imunossupressor têm um risco aumentado de desenvolver linfomas não-Hodgkin e outras malignidades, principalmente câncer de pele (melanoma e não-melanoma), sarcoma (Kaposi e não-Kaposi) e câncer de colo do útero in situ.

Estudos indicam que o risco parece estar mais relacionado à intensidade e à duração da imunossupressão, do que ao uso específico do medicamento.

Uso azatioprina na gravidez

A azatioprina é um remédio vendido sob prescrição médica e deve ser usado apenas sob supervisão médica.

O uso de azatioprina por gestantes é restrito, uma vez que há evidências de risco para o feto. Entretanto, os potenciais benefícios podem garantir o uso em mulheres grávidas apesar dos riscos.

Por isso, tenha uma boa relação com seu médico e sempre conte a ele sobre uma eventual gravidez.

Além disso, o tratamento de insuficiência renal crônica por meio de transplante renal envolvendo a administração de azatioprina tem sido reportado como fator de aumento da fertilidade tanto em homens quanto em mulheres transplantadas.

Interações medicamentosas da azatioprina

A azatioprina possui interações com diversas outras drogas. Por isso é importante contar ao seu médico sobre os outros medicamentos que você usa, incluindo vitaminas e ervas.

Eu tenho usado azatioprina junto com Remicade (Infliximabe). Porém, é bom saber que o uso de ambos os medicamento juntos podem aumentar o risco de infecções e até câncer.

Minha médica determinou que mesmo assim esse seria o melhor método de tratamento pra mim e adotou as devidas precauções para evitar complicações.

Converse com seu médico sempre!

Há estudos que indicam que o uso de ambos os medicamentos podem evitar a recidiva da doença no pós-operatório.

Efeitos colaterais da azatioprina

Há uma grande lista de efeitos colaterais da azatioprina, que incluem infecção, náuseas, leucopenia e vômitos.

A lista completa está escrita logo abaixo.

Pessoalmente, eu nunca senti nenhum desses efeitos colaterais, mas é bom conhecê-los para avisar ao seu médico caso você sinta algum deles.

Efeitos colaterais comuns

  • Fezes escurecidas
  • Sangramento nas gengivas
  • Sangue na urina ou fezes
  • Dores no peito
  • Tosse ou rouquidão
  • Febre ou calafrios
  • Dor lombar ou lateral
  • Micção dolorosa ou difícil
  • Pontos vermelhos na pele
  • Falta de ar
  • Dor de garganta
  • Feridas, úlceras ou manchas brancas nos lábios ou na boca
  • Glândulas inchadas
  • Sangramentos ou hematomas
  • Cansaço ou fraqueza anormais

Efeitos colaterais raros

  • Dores ou dor abdominal ou de estômago
  • Urina escura
  • Diminuição do apetite
  • Batimento cardíaco rápido
  • Febre súbita
  • Dores de cabeça
  • Prurido (coceira)
  • Perda de apetite
  • Dor muscular ou articular
  • Náuseas, vômitos e diarreia
  • Vermelhidão ou bolhas na pele
  • Inchaço dos pés ou pernas
  • Sensação incomum de desconforto ou doença (súbita)
  • Olhos ou pele amarelos

Avisos

Não use azatioprina sem o conhecimento e supervisão de um médico.

O uso de azatioprina por longos períodos podem aumentar o risco de desenvolver certos tipos de câncer, incluindo um tipo raro chamado de Linfoma Hepatoesplênico de células T.

Pacientes que desenvolveram esse tipo de câncer estavam usando azatioprina junto com bloqueadores TNF (terapia biológica, como infliximab e adalimumabe).

Avise seu médico se você já teve algum tipo de câncer e sempre faça seus exames de sangue.

A azatioprina também pode causar desordens sanguíneas como anemias e baixos níveis de leucócitos e plaquetas.




Conclusão

Como eu já havia dito, eu estou utilizado o Imussuprex, mas a azatioprina também pode ser encontrada com outros nomes, como Imunen e Imuran.

Atualmente, minha dose é de 125mg/dia, mas começou com bem menos que isso. A dosagem de azatioprina receitada depende de vários fatores, como o índice de atividade da doença.

Apesar de a bula demonstrar uma série de efeitos colaterais (como os mencionados acima), não senti nenhum deles. Além disso, as pessoas com quem conversei que fazem uso da azatioprina por anos não sentiram desconfortos ou reações adversas. Isso não significa, porém, que efeitos colaterais não existam.

E você? Está usando azatioprina? Conte sua história entrando em contato ou comentado logo aqui abaixo.