A vida social na doença inflamatória intestinal

Tempo de leitura: 5 minutos

Conviver com uma doença crônica não precisa ser tão ruim quanto parece. Com ajustes na rotina é possível viver bem. Mas e a vida social? Baladas, amigos, relacionamentos… tudo isso é possível?

Sim, é possível!

Para ajudar você a ter uma vida social normal, montei uma série de dicas que vão com certeza  te ajudar!

1. Saiba onde estão os banheiros

Parece banal, mas quando eu chego em uma casa de shows, uma balada, um cinema ou qualquer ambiente de lazer, a primeira coisa que eu tento descobrir é onde fica o banheiro!

Além de te ajudar caso você precise sair correndo em busca de um, saber onde ele está ajuda a diminuir a ansiedade e consequentemente a probabilidade de você precisar de um banheiro.

Você pode inclusive, usar apps no seu smartphone que indicam onde ficam os banheiros públicos por meio de geolocalização. Bem-vindo ao futuro!

2. Leve a sua comida (ou coma em casa)

Muitas pessoas com DII afirmam que têm os sintomas piorados quando ingerem algum tipo de alimento.

Isso significa que comer fora de casa pode ser um problema. Uma solução para isso é levar a própria comida.

Pode ser que levar a comida não seja uma opção muito atraente. Imagine chegar em um casamento com uma marmita? Parece estranho, não é? Para resolver isso, faça de outro jeito: coma em casa antes de sair.

Assim, você sabe exatamente quais ingredientes usou e, provavelmente, comerá alimentos que já está acostumado.

Tudo isso reduzirá as chances de uma necessidade súbita de ir ao banheiro.

3. Esteja preparado (leve um kit banheiro)

Eu já entrei em vários banheiros públicos que eram impossíveis de serem usados (mas foi necessário). Já tentou utilizar um banheiro de um estádio de futebol em dia de final de campeonato? Pois é…

É bom estar sempre prevenido!

Eu sempre levo comigo álcool em gel, papel higiênico e lenços humedecidos. Nunca sabemos quando vamos precisar, não é mesmo?

4. Passe mais tempo com pessoas compreensivas

Uma vez fui à casa de um amigo e ele me proibiu de usar o banheiro social. Falou que se eu quisesse usar o banheiro teria que ser o dos fundos que ele usava para guardar entulho.

Sabe quando eu voltei lá? Nunca mais.

Esse foi um episódio isolado, mas serve para ilustrar que existem pessoas que não compreendem a sua doença. Conviver com esse tipo de gente faz mal.

Por isso, passe mais tempo com pessoas que te entendam.

5. Não evite eventos sociais

É muito fácil ficar em casa, em sua zona de conforto. No entanto, isso pode se tornar rotina e deixará você cada vez mais isolado.

Tente controlar sua ansiedade com as dicas acima, além de exercícios físicos e meditação.

6. Preste atenção em você

Comece a anotar tudo o que come, o que faz e os sintomas. Mantenha um diário de tudo. Assim, ficará fácil entender o que te faz mal.

Prestando atenção aos sinais que seu corpo te dá é possível entendê-lo melhor, e portanto, prever melhor certas situações.

Conclusão: Viva!

Você não pode e não deve abdicar de sua vida social! Espero que com as dicas acima a convivência com a doença inflamatória intestinal seja muito mais fácil.

É como diria Chaplin:

“A vida é maravilhosa se não se tem medo dela.”

Não precisamos ter medo das nossas vidas. Precisamos lutar para termos momentos inesquecíveis. São esses momentos que vão nos fazer apreciar nosso caminho, apreciar a vida em si.

Conhece a frase do Gandhi?

“Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho.”

A maior lição que eu aprendi com isso tudo foi que o caminho é, muitas vezes, mais importante que o destino. Trabalhar, estudar, nunca ficar parado foi a melhor coisa que me aconteceu. Doeu, demorou, mas eu aprendi.

Portanto, a maior dica que eu posso dar é: VIVA!

E se você fosse um super-herói?

Se alguém com Doença Inflamatória Intestinal (DII) fosse um super-herói,

como ele seria? Quais características ele representaria? Talvez coragem, força e determinação – três atributos  demonstrados pelos membros da comunidade global de DII que combatem essa doença todos os dias.

Pensando nisso, a Takeda Farmacêutica Brasil lançou a campanha DII Sem Máscaras, a primeira iniciativa global (de seu tipo) projetada para elevar a conscientização sobre os super-heróis não reconhecidos da comunidade global de DII, celebrada por meio de uma colaboração única com os gênios criativos da Marvel Custom Solutions.

Existem hoje mais de cinco milhões de pessoas em todo o mundo que vivem com a condição.

Para essas pessoas, como eu, atividades cotidianas como reunir-se com amigos, familiares ou ir ao cinema podem ser desafiadoras. A campanha DII Sem Máscaras apresenta um novo time de super-heróis da DII, uma série de ilustrações gráficas desenvolvidas pela Marvel Custom Solutions e um painel internacional de pacientes para destacar os desafios físicos e emocionais de se viver com a doença.

O  time de super-heróis e a  série de histórias em quadrinhos estão disponíveis on-line pelo site www.diisemmascaras.com.br, que apresenta quiz interativo,  infográficos e perguntas e respostas. Nele, o usuário pode criar e compartilhar seu avatar de super-herói e baixar recursos que podem ajudá-lo a se empoderar ao falar com médicos, família ou amigos sobre sua condição.

Conteúdo patrocinado pela Takeda Farmacêutica e destinado para o público geral.  BR/EYV/1712/0122 | Dezembro 2017 | SAC 0800 7710345