Comprando remédios online

Tempo de leitura: 1 minuto

Semana passada recebi uma ligação de um jornalista do jornal O Dia, daqui do Rio de Janeiro. A ideia era me entrevistar para uma reportagem sobre a compra de remédios online.

A entrevista não vingou por um problema de horário meu, mas tomo a liberdade de reproduzir partes da reportagem no blog, afinal é de grande interesse dos leitores, que eu acredito que – assim como eu – compram muitos remédios caros.

Quem gasta mais de R$ 100 por mês com remédios ou fraldas economiza ao comprar pela Internet. Além da comodidade, há empresas que não cobram frete e oferecem descontos para vendas acima deste valor. Na Ultrafarma, www.ultrafarma.com.br, por exemplo, o abatimento em determinados medicamentos chega a 95%, caso do Captopril (de R$ 40,25 por R$ 2). Outro diferencial é o pagamento facilitado: os internautas podem parcelar em até três vezes sem juros no cartão de crédito.

A professora Elaine Galvão, 52 anos, aprendeu com a doença do pai, que tem 94 anos e sofre de Alzheimer, a garimpar remédios mais baratos nas farmácias virtuais: “O medicamento dele custa R$ 350, na Internet sai por R$ 175”. Ela conta que teve redução de 70% nos gastos nos demais remédios que compra.

Para aproveitar o frete grátis é importante fazer compras que ultrapassem os R$100. Uma das alternativas é comprar fraldas. As Drogarias Pacheco vendem pacote da Turma da Mônica Soft Touch média, com 24 fraldas, por R$ 17,99 no site, www.drogariaspacheco.com.br. Na Onofre, Pampers Supersec média com 40 sai por R$ 27,27, no site www.onofre.com.br. A Droga Raia vende o pacotão da Turma da Mônica médio, 54 unidades, por R$ 28,88. No site www.drogaraia.com.br .

Fonte: Jornal O Dia / Mais em: http://odia.ig.com.br/portal/economia/rem%C3%A9dios-ficam-at%C3%A9-95-mais-baratos-pela-internet-1.460958